Como vencer
o maior vício
do mundo
Os usuários de drogas perdem o controle sobre
suas vidas e causam sofrimento individual e alheio.

Você pode mudar esta situação.

Clique aqui e conheça nosso livro.


O cigarro causa surdez?

27/08/2017  |  Por Helio Matos

Há muito tempo que a ciência médica, principalmente a partir de 1920, vem alertando a humanidade sobre os danos causados à saúde devido ao uso de drogas. No caso específico tratado neste artigo, a seta indicativa aponta particularmente sobre os malefícios do cigarro (tabaco), adoecendo o sistema auditivo humano.

É certo que nos dias atuais, praticamente todas as pessoas já sabem que o fumo usado pelas pessoas em qualquer de suas formas, causa uma enorme quantidade de doenças, tanto é que no Brasil o cigarro é legalmente proibido para menores de 18 anos de idade. Inclusive, até mesmo a propaganda desta droga está proibida nos meios de comunicação em todo o Brasil. Complementando essas ações na forma da lei, igualmente, em todos os locais públicos e controlados pelo governo ou pela iniciativa privada, é expressamente proibido fumar.

A surdez como resultado do tabagismo

Atualmente no Brasil, o ministério da saúde, através do Sistema Único de Saúde (SUS), recentemente informaram que em todo o país existem vinte e nove milhões de pessoas comprovadamente com problemas auditivos. Desde aproximadamente 2007, cientistas alemães e britânicos vem acelerando e executando testes e pesquisas científicas para saber melhor como o cigarro danifica a capacidade auditiva humana.

Estudos comprovam surdez pelo cigarro

Estudos comprovam surdez pelo cigarro

Diante de variadas pesquisas na área da ciência médica sobre este problema, foi detectado que o tabaco é uma erva dopante, poderosamente viciante, extremamente tóxica e muito prejudicial para a saúde de todo o organismo, prejudicando não somente a parte física, mas igualmente o setor emocional dos dependentes. Atualmente as investigações da ciência sobre como o cigarro agride a audição e todo o sistema vestibular auditivo, finalmente ficou claro como ocorre os danos na audição.

As pesquisas mais recentes sobre os perigos do tabagismo, demonstraram que quando uma pessoa termina de fumar um cigarro, de 100% da capacidade de oxigenação em condições normais do corpo, irrigando todas as extremidades do organismo com oxigênio limpo, tanto as extremidades externas como as extremidades profundas internas, somente 60% da oxigenação está sendo processada pelo organismo, tamanha é a intoxicação das hemácias, (glóbulos vermelhos), células encarregadas de variadas funções, incluindo o transportes de oxigênio para todas as partes do corpo, trabalho este, ininterruptamente vinte e quatros horas por dia.

O sistema deste trabalho de irrigação contínua para a troca de oxigênio impuro, para substituição do oxigênio já utilizado na respiração pelo novo ar respirado, é realizado pelas hemácias (glóbulos vermelhos), encarregadas do trabalho de transportar o oxigênio dentro da corrente sanguínea, tanto o que entra através da respiração depois de utilizado, quanto ao que terá que sair através da expiração, carregado de gás carbônico.

Portanto, devido a deficiência de irrigação quando a corrente sanguínea está prejudicada pela intoxicação dos venenos do tabaco, naturalmente faltará ar puro suficiente para a irrigação completa de todas as extremidades do corpo, inclusive, o próprio coração e pulmões são drasticamente prejudicados, haja vista, os contantes alertas médicos para os fumantes, quanto ao coração.

Como a audição é prejudicada pelo cigarro?

Como está exposto no tópico acima, com a redução de 40% da oxigenação em todas as extremidades do corpo, o sistema auditivo é um dos grandes prejudicados neste caso, isso porque, além de ser um sistema extremamente sensível e complexo, falta oxigênio suficiente para irrigar suas estruturas adequadamente. Diante dessa deficiência na oxigenação do labirinto e de todo o conjunto coclear, a audição do indivíduo diminui em torno de 15% naquele momento, lamentavelmente, o fumante não percebe que sua audição está diminuída, mas se percebe alguma indicação deste acontecimento, por falta de conhecimentos específicos, termina associando o problema à outras causas, menos ao tabagismo.

Só o ato de fumar já inibe a respiração

Só o ato de fumar já inibe a respiração

Quando a intoxicação pelo cigarro passa, isto é, antes do indivíduo voltar a fumar novamente, sua audição volta a funcionar normalmente, mas nem sempre ele percebe essa regularidade. No entanto, o fumante questiona: sendo assim, depois dos efeitos da intoxicação tudo volta ao normal? A resposta é sim? Então, geralmente faz outra pergunta: então, como o cigarro ataca a audição?

A resposta vem da ciência, isto é, toda vez que esta ação é praticada pelo fumante, as estruturas e ramificações nervosas vão sendo lesadas, ou seja, para que se entenda bem como isso ocorre, pode-se comparar literalmente, por exemplo, com as convulsões epiléticas, isto é, a cada convulsão que o indivíduo sofre, haverá danos cumulativos no sistema cerebral, para que as convulsões e os danos cumulativos sejam impedidos, o paciente precisa tomar medicamentos que impeçam os ataques epiléticos, e consequentemente os danos cumulativos no cérebro.

No caso específico do tabagismo prejudicando a audição, é exatamente como ocorre nos ataques epiléticos, isto é, a cada cigarro que se fuma, os danos vão sendo acumulados, ou seja, células nervosas auditivas, dia a dia, vão sendo mortas devido a deficiência da oxigenação completa, até que o fumante apresente claramente a deficiência na audição, inclusive, em muitos casos, apresentando não somente surdez, mas também tonturas, ânsia de vômito, zumbidos em um ou ambos os ouvidos, e etc.

Como tratar ou impedir a surdez devido o cigarro?

Os estudos científicos até o presente momento sobre a ação do tabagismo contra a saúde auditiva, foram executados tanto em laboratório como diretamente com indivíduos fumantes ativos, fumantes passivos, ex fumantes e pessoas que nunca fumaram. Na Inglaterra, os pesquisadores formaram um grupo de 165.000 mil pessoas nas quatro categorias citadas acima.

Foram previamente examinados em laboratórios, e ao mesmo tempo comparados uns aos outros. Com essas averiguações catalogadas, os estudiosos conseguiram mapear em que grupo estava a maioria das pessoas com problemas na audição. Como já desconfiavam os pesquisadores, o grupo com menor número de problemas com o sistema vestibular auditivo foi detectado entre as pessoas que nunca fumaram. Diante dos resultados, os cientistas conseguiram chegar com facilidade sobre os danos que o fumo causa na audição humana.

Para que se consiga impedir a surdez pelo tabagismo, a única atitude que precisa ser posta em prática é deixar de fumar, isso, antes que comecem a ocorrer os danos. No caso dos problemas já existentes devido ao uso de cigarros, a segunda solução é ir em busca de consulta médica especializada na área da otorrinolaringologia, preferencialmente.

Audiometria de uma audição normal

Audiometria de uma audição normal

Quando a pessoa fizer a primeira consulta, o profissional fará inicialmente as perguntas de praxe, o exame clínico e sequencialmente exames laboratoriais, tanto exames gráficos como exames de sangue, e a audiometria é um exame que não ficará de fora, entre outros. Uma vez detectado o problema, o médico prescreverá como será o tratamento para cada caso. Quanto aos resultados do tratamento isso vai depender do grau de comprometimento que prejudicou a audição.